Você já parou para pensar nos diferentes tipos de tecidos para slings que existem por aí? O que mais vemos são aqueles 100% algodão (como os da BabyGrude), mas a trama também influencia no carregar! A principal diferença – e que muda inclusive as indicações de uso – é sobre a elasticidade do pano.

Sling de malha 100% algodão BabyGrude

Os tecidos elásticos (ou semielásticos) ainda são os mais utilizados para confeccionar wraps no Brasil, porém a maior desvantagem está na sua vida útil.
Tecidos como malha, cotton e outros semielásticos ou mesmo elásticos não têm muita resistência. Ou seja, acabam cedendo com o peso. Por isso, carregar bebês um pouco maiores acaba sendo desconfortável!
Os ajustes finos também são mais complicados aqui, pois o tecido trabalha mesmo depois da amarração ser finalizada.

tecidos planos (ou rígidos) são aqueles que não esticam. Apesar de parecerem duros, são os mais confortáveis e babygrude wrap sling ESPINHA DE PEIXEseguros para o bem carregar. Tela simples, sarja cruzada, diamante, espinha de peixe, chevron, jacquard – todas são tramas que resultam em um tecido plano. Ele não estica na vertical nem na horizontal, porém tem certa maleabilidade nas diagonais: essa é a característica que faz um wrap de tecido plano ser fácil de ajustar e envolver o bebê perfeitamente. Depois de pronta, a amarração bem feita não cede e nem sai do lugar – conforto para quem carrega e também para o bebê.

Os tecidos planos são os mais seguros para confecção de porta-bebês, e se tornam os mais duráveis. É possível carregar desde bebês recém nascidos até crianças maiores, ou mesmo repassar o porta-bebê para outras famílias utilizarem. Por sua resistência e durabilidade, também são mais os indicados para confecção de slings de argolas ou mesmo outros porta-bebês, como meh dais, mochilas, onbuhimos… O resultado é um carregador de bebê fresco, seguro e super confortável!

Tela plana
tecido tela plana BabyGrude

Os tecidos produzidos em tela plana (também chamada de trama simples ou hammock) possuem fios de trama que passam alternadamente sobre os fios da teia (ou urdume). Sua grande vantagem como carregador de bebê é a firmeza e o alto suporte.
No primeiro toque ele é áspero, precisa amaciar para começar a usar. A cada uso, mais gostoso ele fica.
Os de tear manual (ou handwovens) da BabyGrude também são em tela plana, e não precisam de muita doma para ficarem macios.
Ideais também para a produção de mochilas, meh dai e onbuhimo: 100% algodão, a trama traz um frescor extra a esses carregadores estruturados.

Trama espinha de peixe

tecido espinha de peixe BabyGrude
Na
trama espinha de peixe, a trama e o urdume formam um zig-zag ao longo do tecido – é uma espécie de sarja quebrada. O resultado é um tecido firme, que não cede, porém tem maleabilidade nas diagonais e torna-se fácil de ajustar. Ideal para recém-nascidos e para quem está começando com tecidos planos.
Ele chega em sua casa macio, e fica mais macio a cada uso.

 

Como amaciar?

wrap sling tear manual handwoven tecido babygrudeQuanto mais você usa o seu porta-bebê de tecido plano, mais macio e gostoso ele se torna! Mas também é possível “dar uma mãozinha” para deixar o tecido mais macio e maleável.

– Lavagem: é importante lavar o seu carregador antes do primeiro uso. Nós recomendamos o mesmo sabão que você usa nas roupinhas do bebê, porém sem amaciante. É possível lavar na máquina, no ciclo delicado. Antes de lavar, deixar o wrap de molho em água e vinagre também amacia as fibras!

– Trança: ao invés de dobrar, guarde o seu porta-bebê trançado ou enrolado. Isso ajuda as fibras a trabalharem e ficarem macias mais rapidamente.

– Durma em cima do porta-bebê!

– Use. Amarre. Teste. Treine. Você vai sentir a diferença!

Fale Conosco

Dúvidas? Mande uma mensagem.

Enviando

©2017 BabyGrude

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?